Make your own free website on Tripod.com

Demência senil

Demência senil, forma clínica de deterioração intelectual do idoso. Cerca de 10% de todas as pessoas maiores de 65 anos sofrem uma degeneração intelectual significativa. Embora um quinto dos casos deva-se a causas passíveis de tratamento, como por exemplo reações adversas a fármacos, a maioria sofre do mal de Alzheimer.

Cretinismo

Cretinismo, doença provocada pela ausência congênita de tiroxina, hormônio secretado pela glândula tireóide. Caracteriza-se pelo retardo físico e mental, estatura baixa, extremidades deformadas, feições grosseiras e pêlo escasso e áspero. Muitos países fazem, como rotina, o diagnóstico precoce em todos os recém-nascidos. O cretinismo endêmico ocorre em áreas onde existe um déficit de sal iodado na água. O iodo é um componente essencial para a síntese de tiroxina.

Epilepsia

Epilepsia, distúrbio crônico do cérebro caracterizado por convulsões ou ataques repetidos. A origem dos ataques pode ser uma lesão cerebral subjacente, uma lesão estrutural do cérebro, uma doença sistêmica, ou até ser idiopática (sem causa orgânica). Os ataques epilépticos consistem em perda de consciência, espasmos convulsivos de partes do corpo, explosões emocionais ou períodos de confusão mental.

Nos indivíduos epilépticos, as ondas cerebrais, que são uma manifestação da atividade elétrica do córtex cerebral, têm um ritmo característico anômalo. Os registros das ondas cerebrais são obtidos com um aparelho denominado electroencefalógrafo.

Esclerose múltipla

Esclerose múltipla, doença do sistema nervoso central, na qual a mielina (substância lipóide esbranquiçada que envolve as fibras nervosas) se destrói de forma gradual, com o desenvolvimento de lesões múltiplas no cérebro e na medula espinhal.

Os sintomas mais freqüentes são: visão borrada ou dupla, perda de visão, tremor nas mãos, debilidade das extremidades, alterações na sensibilidade, dificuldade na fala e perda do controle sobre os esfíncteres vesical e anal. Com o tempo, a maioria dos casos é mortal.

Gerontologia

Gerontologia, ciência que estuda as pessoas idosas, sua situação social e o fenômeno do envelhecimento. Os gerontólogos estudam o comportamento da sociedade em relação às pessoas idosas e seus principais problemas de saúde. Na maioria das sociedades industrializadas o alto custo de alguns tratamentos tem sido assumido, em parte, por políticas de seguro social.

Outro problema deste setor é o nível dos rendimentos e do bem-estar econômico. As sociedades industrializadas concedem, geralmente, sistemas de pensões e seguros médicos. A partir de 1920, o número de pessoas idosas nas sociedades industrializadas aumentou de forma considerável.

Ácido Úrico

Úrico, Ácido, composto nitrogenado, branco, inodoro e insípido, cuja fórmula é C3H4N4O3.

Formado como resultado do metabolismo das proteínas, está presente na urina humana e, em quantidades maiores, na urina de pássaros e répteis. Ao aquecer-se, forma uréia, amoníaco e dióxido de carbono.

Hérnia

Hérnia, saída total ou parcial de um órgão ou estrutura através da parede da cavidade que o contém. As hérnias são classificadas segundo a estrutura ou a localização. Assim, a hérnia inguinal, a mais freqüente, é a saída das alças do intestino através da parede abdominal na área inguinal (a área da virilha).

Geralmente, ocorrem devido a um esforço excessivo em cavidades cuja parede está debilitada. Por exemplo, uma hérnia inguinal pode ocorrer, quando se levanta de forma brusca um objeto muito pesado ou em um acesso de tosse. São consideradas redutíveis quando desaparecem de forma espontânea ou com uma pressão suave e manipulação externa. Quando uma hérnia não pode ser reduzida, chama-se estrangulada; as hérnias estranguladas geralmente são dolorosas e devem ser operadas.

Hiperatividade

Hiperatividade, afeta a crianças de pouca idade, manifestando-se por estas apresentarem níveis de atividade exacerbados, dificuldade de concentração, incapacidade para controlar os impulsos, intolerância à frustração e, em muitos casos, problemas de comportamento.

Os fármacos estimulantes como o metilfenidato (uma anfetamina) mostraram-se eficazes para freiar a hiperatividade, embora nem sempre consigam melhorar a aprendizagem e possam interferir com o apetite e o sono.

Juramento de Hipócrates

Juramento de Hipócrates, juramento antigo realizado pelos médicos em sua cerimônia de graduação. É atribuído a Hipócrates, médico grego considerado por muitos o pai da medicina. Como código de comportamento e prática, proíbe aos médicos a realização de abortos, eutanásia ou cirurgia. Exige também a promessa de não manter relações sexuais com os pacientes e guardar segredo profissional das confidências que estes fizerem.

Apesar de alguns princípios postulados no juramento hipocrático ainda serem vigentes, como a importância do segredo profissional e da manutenção do princípio de justiça com relação ao paciente, outros aspectos carecem hoje de interesse. Muitos médicos respeitam o direito de escolha da mulher entre ter um filho ou abortá-lo, sempre e quando as leis de cada país permitirem, e em alguns países a eutanásia é aceita em determinados casos extraordinários.