Make your own free website on Tripod.com

Miastenia de Eaton Lambert

A Miastenia de Eaton Lambert, é uma miastenia que se caracteriza pelo acometimento da junção neuromuscular. Entretanto, é uma doença rara e chama atenção por sua freqüente associação às neoplasias e, por isso, considerada como uma doença paraneoplásica. A Miastenia de Eaton Lambert também está associada a várias doenças autoimunes. Na síndrome de Eaton Lambert formam-se anticorpos contra os canais de cálcio do terminal pré sináptico. Isso acaba resultando n uma anormalidade da liberação de acetilcolina na fenda sináptica.

O Quadro clínico se inicia com fraqueza progressiva e flutuação na atividade física, acometendo musculatura proximal dos membros inferiores e cintura pélvica. Progressivamente, há fraqueza em cintura escapular, podendo também haver comprometimento da musculatura craniobulbar, embora diplopia, ptose e disfagia não sejam comuns. Além do comprometimento motor, em muitos casos, há queixas relacionadas com o sistema nervoso autônomo, tais como constipação, retenção urinária, boca seca e impotência. Hipotensão postural é rara.

Esta doença foi descrita por Eaton, Lambert e Rooke em 1956. Em geral ela acomete adultos, com preferência pelo sexo masculino na proporção de 5 para 1. Na maior parte dos casos a Miastenia de Eaton Lambert é observada em associação a neoplasia pulmonar do tipo oat cell. Nestes casos, o quadro neurológico pode preceder o aparecimento do tumor do pulmão em anos. Vários outros tumores já foram relacionados à síndrome de Eaton Lambert, como os linfomas, carcinomas de mama, de cólon, da próstata, estômago, rim. Entre as doenças autoimunes associadas a síndrome de Eaton lambert temos: • Anemia perniciosa • Vitiligo • Doença celíaca • Diabetes Mellitus Tipo I • Artrite reumatóide • Asma • Retocolite ulcerativa • Esclerodermia • Esclerose múltipla

Münchausen, Síndrome de - Transtorno Factício

A característica essencial da Síndrome de Münchausen (Transtorno Factício) é a produção intencional de sinais ou sintomas somáticos ou psicológicos. A produção intencional pode incluir a fabricação de queixas subjetivas (por ex., queixas de dor abdominal aguda na ausência de qualquer dor desta espécie), condições auto-infligidas (por ex., produção de abscessos por injeção subcutânea de saliva), exagero ou exacerbação de condições médicas gerais preexistentes (por ex., simulação de uma convulsão de grande mal por um indivíduo com história prévia de transtorno convulsivo) ou qualquer combinação ou variação destes elementos. A motivação para o comportamento consiste em assumir o papel de doente e, pior ainda, de doente misterioso e desafio à medicina.

Os indivíduos com Transtorno Factício em geral apresentam sua história de forma dramática quando questionados em maiores detalhes, podem envolver-se em mentiras patológicas, de um modo intrigante para o ouvinte, acerca de qualquer aspecto de sua história ou sintomas. Eles freqüentemente possuem um extenso conhecimento da terminologia médica e das rotinas hospitalares.

Os indivíduos com este transtorno podem submeter-se com avidez a múltiplos procedimentos e operações invasivas. Quando confrontados com evidências de que seus sintomas são factícios, os indivíduos com este transtorno geralmente negam as alegações ou abandonam rapidamente o hospital, contrariando disposições médicas. Freqüentemente, eles são admitidos, logo depois, em um outro hospital. Veja Transtorno Factício no DSM.IV