Make your own free website on Tripod.com

Fisioterapia

Valiosa no tratamento de muitas doenças e na reeducação motora, a fisioterapia requer orientação e acompanhamento médicos. Com a ajuda de um especialista em fisioterapia, um deficiente físico pode levar uma vida criativa e construtiva. Fisioterapia é o ramo da medicina que, no tratamento de doenças, recorre a meios físicos, como calor, frio, água, radiações eletromagnéticas, ultra-sons, eletricidade e agentes mecânicos (massagens, exercícios, tração etc.). Graças ao emprego desses meios na recuperação dos deficientes físicos, a fisioterapia passou também a ser chamada de medicina de reabilitação. Os médicos que se especializam nesse ramo são os fisiatras, mas a aplicação do tratamento é muitas vezes feita por fisioterapeutas.

Termoterapia. O tratamento pelo calor recebe o nome de termoterapia. A aplicação do calor tem efeito trófico, com melhora do metabolismo da nutrição dos tecidos; analgésico, com alívio da dor; e circulatório, com dilatação dos vasos e aumento na velocidade e no volume circulatório do sangue. O calor é chamado radiante quando transmitido da fonte produtora ao paciente por intermédio do ar; condutivo, quando a fonte de calor entra em contato com o corpo; e conversivo, quando uma forma de energia penetra nas camadas mais profundas dos tecidos e se transforma em calor. São exemplos de calor radiante as lâmpadas de raios infravermelhos, com filamentos de tungstênio, empregadas no tratamento de processos inflamatórios superficiais, nas inflamações do ouvido e dos seios da face, nos traumatismos e reumatismos. Como calor condutivo citam-se as compressas quentes, as almofadas elétricas, as bolsas de água quente, as estufas de ar quente, em que este entra em contato com o paciente, e os banhos de parafina. As formas de calor conversivo, como as ondas curtas, microondas e ultra-sons, são mais complexas que as do calor radiante e do condutivo. Elas penetram profundamente e só são aplicadas por pessoal especializado.

As ondas curtas provocam o aquecimento dos tecidos, ao produzirem a passagem de uma corrente de alta freqüência pelo corpo, por meio de condensadores. A freqüência mais comum é de 27,33 megaciclos, com comprimento de onda de 11m. Empregam-se em tratamentos do seio etmoidal e esfenoidal, da coluna vertebral, da articulação do quadril ou do ombro e dos órgãos abdominais. A irradiação dos tecidos com radiações eletromagnéticas recebe o nome de microondas. Seu comprimento de ondas está entre um centímetro e um metro. Nesse tratamento, emissores especiais, que permanecem a uma distância certa da pele, dirigem as microondas até os tecidos, permitindo um aquecimento localizado e profundo. Elas são eficazes contra as inflamações das bolsas serosas (bursites), nos reumatismos degenerativos (artroses) e quando se visa o aquecimento dos músculos.

Os ultra-sons, aplicados em medicina numa freqüência entre 0,8 e 1 megaciclo, provocam efeitos térmicos, mecânicos e, segundo alguns especialistas, também químicos. Aquecem seletivamente as interfaces de tecidos com diferentes índices de refração, como o periósteo, bainhas tendinosas e nervosas, e são mais efetivos nos tecidos com baixo conteúdo de água, como os ossos. Seus efeitos mecânicos são contrações e descontrações, denominadas cavitações. Como efeito químico, citam-se a polimerização e um alívio da dor que não seria devido apenas à elevação de temperatura. Os ultra-sons dão bons resultados nos processos articulares e no tratamento de partes moles, sobretudo quando há fibrose. Empregam-se nas doenças da coluna e de grandes articulações, bem como em certos diagnósticos.

Crioterapia. O tratamento pelo frio, ou crioterapia, é de uso menos difundido na fisioterapia. Sob certos aspectos, tem efeito oposto ao do calor, pois diminui a formação de linfa e reduz a circulação por constrição dos vasos. O frio é usado, sob forma de compressas, para reduzir o extravasamento de sangue e linfa, após traumatismos nas articulações, nos músculos e nos ligamentos. Esse tratamento alivia a dor, pelo relaxamento muscular, e impede que o local traumatizado inche. A imersão em água fria tem sido aconselhada para diminuir a contração dos músculos em certas doenças do sistema nervoso central. As compressas de gelo enrolado ou em bolsas de borracha ou plástico também servem para reduzir o espasmo muscular. A crioterapia é contra-indicada aos pacientes sensíveis ao frio, aos portadores de artrite e aos que sofrem de doenças circulatórias.

Hidroterapia. O tratamento por aplicação externa de água ao corpo denomina-se hidroterapia. A água tem sido usada localmente ou em aplicações gerais. Nas aplicações locais, destacam-se os banhos de contraste para pés e mãos, em que o paciente mergulha as extremidades em um recipiente com água quente, depois em água fria, e assim alternadamente. A hidroterapia local é usada em casos de fraturas, amputações e reumatismos localizados em um só membro. Já a hidroterapia geral é indicada na reeducação de músculos paralisados; nos casos de pacientes queimados, de fraturas múltiplas e de reumatismos que atingem várias articulações; e após as cirurgias ortopédicas de articulações como o quadril.

Raios ultravioleta. Radiações eletromagnéticas invisíveis, os raios ultravioleta têm comprimento de onda inferior aos dos raios violeta do espectro visível. São produzidos por lâmpadas especiais chamadas queimadores, feitas de quartzo, pois o vidro comum filtra as radiações ultravioleta que mais atuam sobre a pele.Existem queimadores de quartzo quente, de uso mais difundido, e de quartzo frio. A luz solar, rica em raios ultravioleta, produz os mesmos efeitos fisiológicos dos aparelhos artificiais. Graças a sua ação tônica, os raios ultravioleta se aplicam no raquitismo e, sobretudo, em muitas doenças da pele, na qual provocam descamação ou pigmentação. A ação fisiológica geral dos raios ultravioleta, como na cura do raquitismo, é explicada pela transformação do 7-diidro-colesterol em vitamina D, na pele.

Contudo, os raios ultravioleta produzem eritema (rubor na pele), provavelmente devido a seu efeito lesivo sobre as proteínas das células das camadas mais superficiais. O amorenamento da pele, a que se dá o nome de pigmentação, decorre do deslocamento da melanina das camadas mais profundas para as mais superficiais. É difícil a dosagem precisa dos raios ultravioleta. Eles não são indicados nas doenças fotossensíveis, que pioram com esse tratamento, nem em certas afecções do tecido conjuntivo, no câncer de pele e nos estados febris.

Correntes elétricas. Usam-se em medicina a corrente galvânica e a corrente farádica. A corrente galvânica, também chamada voltaica ou contínua, é unidirecional e essencialmente polarizada, mantendo seus pólos bem determinados durante todo o tratamento. É muito usada na ionização medicamentosa ou iontoforese. Na ionização, substâncias medicamentosas (iodo, corticóides, antibióticos etc.) são introduzidas no corpo pela corrente galvânica. Colocam-se as soluções em eletrodos. Estes não entram em contato direto com a pele, pois são revestidos de algodão, umedecidos em água. Indicada, sobretudo, no combate a processos dolorosos, derrames hemofílicos e outras afecções, a corrente galvânica serve também para estimular músculos denervados e para melhorar a circulação. A corrente farádica é corrente alternada, de ondas espaçadas e dissimétricas, e a duração dos impulsos elétricos é breve, da ordem de um milésimo de segundo. É eficaz nos tratamentos de músculos com inervação, na prevenção de atrofias, na redução de espasmos depois de lesões traumáticas e na reeducação muscular. No eletrodiagnóstico, recorre-se à corrente galvânica interrompida, e à farádica para investigar a possível degeneração de um nervo lesado.

Agentes mecânicos. Em fisioterapia, os agentes mecânicos compreendem a massagem, os exercícios, a tração etc. A massagem é a manipulação metódica e científica dos tecidos do corpo e pode ser superficial ou profunda. Abrange cinco tipos, a depender da pressão: alisamento, amassamento, fricção, percussão e vibração. Os efeitos fisiológicos da massagem são de tipo mecânico: melhora a circulação venosa e linfática de retorno e também a dos músculos e atua sobre aderências fibrosas do tecido conjuntivo.

Há também os efeitos reflexos: relaxamento muscular, alívio da dor e melhora da circulação capilar. É indicada, sobretudo, quando há acúmulo de linfa (inchação) depois de cirurgias, fraturas e traumas, e atrofia de desuso, após imobilização demorada. Os exercícios terapêuticos podem ser definidos como o uso apropriado dos movimentos do corpo com a finalidade de tratamento. Implicam a sistematização médica desses movimentos e o conhecimento do sistema muscular e osteoarticular. São usados nas paralisias, reumatismos, após fraturas e cirurgias ortopédicas, associados ou não ao calor, ao frio e à hidroterapia. Quase todas as doenças do sistema nervoso central ou dos nervos periféricos exigem tratamento por exercícios. As trações são aplicadas sobre as articulações, com aparelhos especiais, para melhora da dor e mobilidade. ©Encyclopaedia Britannica do Brasil Publicações Ltda.