Make your own free website on Tripod.com

Fratura

O advento da radiologia tornou mais rápida e eficaz a identificação de uma fratura, sem manipulação da parte afetada e independentemente dos principais sintomas: dor, mobilidade anormal, crepitação, deformidade, edema e outros. Fratura é a interrupção na continuidade de um osso, ou de uma cartilagem, provocada geralmente por traumatismo. Existem ainda outros tipos de fraturas: patológicas, que decorrem de fatores congênitos e hereditários, desequilíbrios hormonais, deficiências vitamínicas, tumores ósseos e outras causas; fraturas por fadiga ou sobrecarga, que aparecem durante a atividade funcional, sobretudo nos pés, depois de longas caminhadas; e as obstétricas, sofridas por recém-nascidos em partos laboriosos.

Em virtude da calcificação incompleta, as crianças têm ossos mais vulneráveis a fraturas, assim como os adultos idosos, e especialmente as mulheres, que desenvolvem osteoporose após a menopausa. Quanto ao grau, as fraturas dividem-se em completas, quando as duas partes do osso se separam inteiramente, e incompletas, como na fissura, em que o osso racha mas não se divide, e na inflexão, em que à rachadura se acrescenta um arqueamento. Segundo a configuração, as fraturas definem-se como longitudinais, transversais, oblíquas, espiróides e complexas.

De acordo com a localização no osso, são epifisárias, metafisárias ou diafisárias. Quanto ao estado das partes moles, existem fraturas subcutâneas ou fechadas, e expostas ou abertas, quando a pele é lesada e o foco de fratura se comunica com o exterior. O número de lesões no osso determina que a fratura seja única, quando há um só traço no mesmo osso; múltipla, se este se quebrar em mais de um segmento; cominutiva, se houver mais de dois fragmentos; ou configurada como esmagamento, quando há muitas lesões na arquitetura óssea.

O traumatismo provocador da fratura pode resultar de uma ação direta, como a do choque de um automóvel, ou de mecanismos indiretos: arrancamento, flexão, compressão, deslizamento e torção. Os fragmentos do osso fraturado apresentam-se sem desvio, quando não existe alteração de seus eixos, ou com desvio, que pode ser angular, lateral, de rotação e longitudinal. O tratamento de um fraturado inclui três providências básicas: redução, para reconduzir o osso a sua forma anterior; imobilização, que visa a manter a redução e permitir a consolidação correta; e mobilização, recuperação funcional e fisioterapia.

A reparação se faz pelo calo ósseo, que evolui por fases: calo fibroso, calo provisório e calo definitivo. As fraturas estão sujeitas a complicações imediatas -- lesão vascular, nervosa e de órgãos viscerais ou parenquimatosos, interposição de partes moles etc. -- e tardias, como infecção, consolidação viciosa, necrose, rigidez articular e outras. ©Encyclopaedia Britannica do Brasil Publicações Ltda.