Make your own free website on Tripod.com

Psoríase

De causa desconhecida, a psoríase afeta um a dois por cento da população branca mundial, entre os dez e os trinta anos de idade. A propensão a desenvolver a doença, mais comum nos países frios do hemisfério norte, é genética, não havendo portanto risco de contágio.

Psoríase é uma doença cutânea crônica e recorrente, caracterizada por lesões avermelhadas e espessas, algumas vezes cobertas de uma escamação branco-acinzentada. Na maior parte dos casos, as lesões tendem a se distribuir de forma simétrica nos cotovelos e joelhos, couro cabeludo, peito e nádegas. Podem ser pequenas e isoladas ou formar grandes placas, como desenhos geométricos em torno de uma região central em que a pele é normal. As unhas, freqüentemente afetadas, tornam-se espessas, laminadas e quebradiças.

Acredita-se que a psoríase resulte de distúrbios tanto na camada córnea não vascularizada mais externa da pele, quanto em sua camada vascularizada mais profunda. Alguns pesquisadores supõem que a doença pode ser provocada por perturbações do sistema imunológico que desequilibram o mecanismo de renovação da camada superficial da pele. Na pele normal, novas células são produzidas à medida que células mais antigas morrem; na pele do psoríaco, o ritmo de produção celular é sete vezes maior e não dá tempo a que se forme a queratina, proteína impermeável que reveste e protege a epiderme.

Por essa razão, a pele atacada de psoríase apresenta espessura de até um centímetro e se descama com facilidade. Infecções agudas, ferimentos ou transtornos de natureza psicológica podem desencadear a doença, de forma gradual ou rápida. Em geral, as lesões diminuem e até mesmo desaparecem no verão, possivelmente por ação da luz solar. Em menos de dez por cento dos casos, o psoríaco apresenta edema e dores nas juntas, o que configura uma inflamação conhecida como artrite reumatóide. Com resultados variáveis, os sintomas podem ser tratados com corticóides de aplicação local, com medicamentos que reduzem o ritmo da divisão celular ou com luz ultravioleta. Não existe cura permanente para a psoríase ©Encyclopaedia Britannica do Brasil Publicações Ltda.